Notícias
«« voltar Portos || Publicado em: quinta-feira, 10 de junho de 2021
Desestatização busca eficiência e redução de custos logísticos no país, diz secretário
Diogo Piloni explicou o modelo de concessão de terminais que está sendo formulado para garantir qualidade e atrair investimentos ao setor

Nas palavras do secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (MInfra), Diogo Piloni, o processo de desestatização de portos públicos brasileiros busca construir um modelo de gestão mais adequado a esses empreendimentos, com serviço mais eficiente e custos mais baixos.

A declaração ocorreu durante participação do secretário na 32ª edição da Assembleia Permanente pela Eficiência Nacional (Aspen), promovida pelo Instituto Besc na tarde desta terça-feira (8). "Certamente é bom. Pois temos que lembrar do lema do setor de que a carga não espera. Por isso o Porto precisa atender às demandas das cadeias logísticas com rapidez o que hoje não é alcançado com o modelo estatal”, disse, ao participar de um debate sobre Desestatização de portos organizados: isso é bom ou ruim? Pra quem?.

Segundo ele, o conhecido modelo Landlord não foi implantado em sua totalidade no Brasil, resultando no engessamento da administração e da eficiência dos portos públicos, e, por isso, precisa ser reformulado. "Todas as restrições no modelo que temos são inviáveis ao dinamismo no setor. O que buscamos é agilidade e eficiência de gestão”, resumiu.

Conforme explicou, o programa de concessões no setor tem levado em conta a peculiaridade de cada porto, mas sem abrir mão do pilar defendido pelo MInfra: garantir o interesse público e os investimentos necessários, com segurança jurídica e respeito aos contratos firmados. "Não é um modelo padrão para todos, e sim modelos que gerem sinergias para o atendimento da carga, com capacidades portuárias mais adequadas e redução de custos para a logística do país”, reforçou.

Fonte: Ministério da Infraestrutura
SITE PRODUZIDO POR WORLD DESIGNER
Detrans do Brasil
Acre AlagoasAmapáAmazonasBahiaCearáDistrito FederalEspírito SantoGoiásMaranhão Mato GrossoMato Grosso do SulMinas GeraisParáParaíbaParanáPernambucoPiauíRio de JaneiroRio Grande do NorteRio Grande do SulRondôniaRoraimaSanta CatarinaSão PauloSergipeTocantins