Notícias
« voltar Pesagem de carga || Publicado em: segunda-feira, 25 de janeiro de 2021
Governo passará a pesar caminhões pelo PBT e não por eixo

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em live junto com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, confirmou que o governo está finalizando uma revisão da atual norma de pesagem de caminhões. Uma das mudanças previstas é a substituição da pesagem por eixo para a pesagem do veículo completo. A nova norma também deverá aumentar a tolerância de peso das cargas.

Segundo o ministro, o objetivo das mudanças é reduzir os custos para o transporte rodoviário de cargas.

"Estamos revisando a norma de pesagem, pra ela onerar menos o caminhoneiro, pra gente ter menos multa em função disso e ser mais fácil. Então, acabando com o peso por eixo em veículos até 50 toneladas, aumentando a tolerância nos veículos que vão carregar mais. Em breve, essa norma vai estar publicada”, afirmou Tarcísio.

Na live também foi comentada a decisão do governo de zerar as tarifas para importação de pneus de caminhões, publicada no Diário Oficial da União na última quarta-feira.

"A partir do momento que a gente subtrai essa taxa, a gente tem mais pneus importados, que vão competir e a tendência é forçar uma redução de preço. A gente quer diminuir o custo do transporte”, complementou.

O ministro também disse que o governo deve lançar em breve o DT-e, documento de transporte eletrônico para as operações de transporte. Pretende-se condensar em um único documento, cerca de 20 outros exigidos nos fretes.

Tabela de fretes

O ministro também criticou a tabela de fretes, medida implantada em 2018 após a greve de maio daquele ano. Para Freitas, a medida acabou se tornando prejudicial, ao invés de melhorar a situação dos motoristas.

"A partir do momento que a gente subtrai essa taxa, a gente tem mais pneus importados, que vão competir e a tendência é forçar uma redução de preço. A gente quer diminuir o custo do transporte”, disse.

Pedágios

O ministro também confirmou que o governo trabalha em um novo modelo de concessão de rodovias, que entreguem mais obras para os usuários com um valor de pedágio menor.

"Tabela de frete é uma coisa que, no final das contas, gerou uma insegurança jurídica no setor de transporte. As empresas, com medo da responsabilização, com medo de multas, acabaram adquirindo frotas e contratando frotistas. Então, a tabela afastou trabalho dos caminhoneiros. A percepção de uma grande parcela desses caminhoneiros hoje é que a tabela foi prejudicial”, pontuou.

Fonte: Blog do Caminhoneiro
SITE PRODUZIDO POR WORLD DESIGNER
Detrans do Brasil
Acre AlagoasAmapáAmazonasBahiaCearáDistrito FederalEspírito SantoGoiásMaranhão Mato GrossoMato Grosso do SulMinas GeraisParáParaíbaParanáPernambucoPiauíRio de JaneiroRio Grande do NorteRio Grande do SulRondôniaRoraimaSanta CatarinaSão PauloSergipeTocantins