Notícias
« voltar Movimento de cargas || Publicado em: quinta-feira, 21 de março de 2019
Movimentação de contêineres no Brasil deve crescer a uma média anual de 6,5% até 2023
Levantamento aponta crescimento de movimentação em toda Costa leste da América do sul

As perspectivas de crescimento na movimentação de contêineres na Costa Leste da América do Sul são positivas para os próximos cinco anos e devem ser aproximadamente três vezes maiores que o crescimento do PIB, crescendo 5,9% ao ano. É o que aponta o ECSA Container Terminals Report 2019, produzido pela Datamar, este aumento é impulsionado principalmente pelo Brasil, que tem projeções de 6,5% de crescimento ao ano.

Em 2018, os portos brasileiros, uruguaios e argentinos movimentaram, ao todo, 12,7 milhões de TEUs (Twenty Foot Equivalent Unit, refere-se à Unidade Equivalente de Transporte, tamanho padrão de contêiner intermodal de 20 pés), o que representou um incremento de 4,9% em relação a 2017, quando foram registrados 12,1 milhões de TEUs. Ainda de acordo com o levantamento, o volume de contêineres no Brasil deve saltar de 10,3 milhões de TEUs para 14,1 milhões de TEUs até 2023.

Previsão de Movimentação de Contêineres 2019-2023 ['000 TEU]

Previsão de Movimentação de Contêineres 2019-2023 ['000 TEU]

A região Norte foi a que apresentou maior previsão de crescimento, onde a cabotagem é muito presente para o transporte de eletroeletrônicos e auto partes. Já o Porto de Santos tende a crescer por mais de um milhão de TEUs, causando o maior impacto em números absolutos. O relatório traz todos os números e taxas de crescimento previstas para cada região brasileira.

Outro ponto de destaque é a previsão de utilização dos terminais no Brasil, ou seja, quanto se tem de movimentação em relação à capacidade, que deve subir de 56,6% para 64,7%em 2023, considerando as expansões atualmente planejadas pelos terminais. A incorporação de embarcações cada vez maiores às frotas navios de 14 mil TEUs trará mudanças à navegação regional, já que nem todos os portos serão capazes de receber os grandes navios. Buenos Aires é o caso mais emblemático, e que tende a provocar um aumento de transbordos em Santos e nos portos do sul do Brasil, explica Andrew Lorimer, diretor da Datamar.

Com a contínua consolidação do setor, o mercado de transporte de contêineres na região ECSA está cada vez mais concentrado. De acordo com o relatório, os quatro maiores armadores Maersk, MSC, CMA CGM e Hapag-Lloyd respondem por 79,2% de toda a capacidade prevista em fevereiro de 2019. Em termos de tráfego marítimo, as quatro empresas representam 82,3% do total de contêineres embarcados em 2018.

Fonte: Frota & Cia
SITE PRODUZIDO POR WORLD DESIGNER
Detrans do Brasil
Acre AlagoasAmapáAmazonasBahiaCearáDistrito FederalEspírito SantoGoiásMaranhão Mato GrossoMato Grosso do SulMinas GeraisParáParaíbaParanáPernambucoPiauíRio de JaneiroRio Grande do NorteRio Grande do SulRondôniaRoraimaSanta CatarinaSão PauloSergipeTocantins