Notícias
« voltar Exportações || Publicado em: terça-feira, 24 de abril de 2018
Segunda semana de abril tem superávit de US$ 1,829 bilhão
Exportações somaram US$ 5,244 bilhões e importações, US$ 3,415 bilhões

Brasília (16 de abril) – Na segunda semana de abril de 2018, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,829 bilhão, resultado de exportações no valor de US$ 5,244 bilhões e importações de US$ 3,415 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 64,173 bilhões e as importações, US$ 46,897 bilhões, com saldo positivo de US$ 17,276 bilhões.

Semana

A média das exportações da segunda semana chegou a US$ 1,048 bilhão, 14,9% acima da média da primeira semana (US$ 912,5), em razão do aumento nas exportações de produtos básicos (44,7%, por conta de magnésia calcinada, petróleo em bruto, minério de cobre, fumo em folhas e farelo de soja). Já as vendas de produtos semimanufaturados tiveram queda (-25,5%, em função de óleo de soja em bruto, ferro fundido bruto e ferro spiegel, açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas e celulose). Também caíram as exportações de manufaturados (-6,1%, em razão de gasolina, etanol, motores e turbinas de aviação, motores, geradores e transformadores elétricos e óxidos e hidróxidos de alumínio).

Nas importações, houve aumento de 11,5% sobre igual período comparativo (média da segunda semana, de US$ 683,0 milhões, sobre a média da primeira semana, de US$ 612,7 milhões), explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com cereais e produtos da indústria de moagem, adubos e fertilizantes, combustíveis e lubrificantes, químicos orgânicos e inorgânicos e equipamentos mecânicos.

Mês

No mês, as exportações somaram US$ 9,806 bilhões e as importações, US$ 6,478 bilhões, com saldo positivo de US$ 3,328 bilhões.

Nas vendas externas, comparadas as médias até a segunda semana de abril de 2018 (US$ 980,6 milhões) com a de abril de 2017 (US$ 982,2 milhões), houve queda de 0,16%, em razão da diminuição nas vendas de produtos manufaturados (-4,2%, por conta de tubos flexíveis de ferro e aço, hidrocarbonetos e derivados, açúcar refinado, automóveis de passageiros e óxidos e hidróxidos de alumínio). Já as vendas de produtos básicos tiveram aumento (2,7%, por conta de bovinos vivos, petróleo em bruto, fumo em folhas, minério de cobre e carne bovina) e de produtos semimanufaturados (2%, por conta de alumínio em bruto, ferro fundido bruto e ferro spiegel, semimanufaturados de ferro e aço, ferro-ligas e celulose).

Em relação a março deste ano, houve crescimento de 2,5%, por conta do aumento nas vendas de produtos básicos (8,9%), enquanto que caíram as vendas de produtos manufaturados (-4) e semimanufaturados (-0,9%).

Nas importações, a média diária até a segunda semana de abril de 2018 (US$ 647,8 milhões) ficou 8,8% acima da média de abril de 2017 (US$ 595,4 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com bebidas e álcool (105,6%), equipamentos mecânicos (42%), veículos automóveis e partes (41,3%), siderúrgicos (34,6%) e químicos orgânicos e inorgânicos (9,5%).

Na comparação com março deste ano, houve queda nas importações de 1,5%, pelas diminuições em aeronaves e peças (-33%), combustíveis e lubrificantes (-29,5%), farmacêuticos (-7,2%), instrumento de ótica e precisão (-5,6%) e químicos orgânicos e inorgânicos (-3,7%).

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MDIC
SITE PRODUZIDO POR WORLD DESIGNER
Detrans do Brasil
Acre AlagoasAmapáAmazonasBahiaCearáDistrito FederalEspírito SantoGoiásMaranhão Mato GrossoMato Grosso do SulMinas GeraisParáParaíbaParanáPernambucoPiauíRio de JaneiroRio Grande do NorteRio Grande do SulRondôniaRoraimaSanta CatarinaSão PauloSergipeTocantins